terça-feira, julho 05, 2005

Movimentos Pró-Ana e Pró-Mia

Há uns tempos deparei-me com dois "movimentos" que até à data desconhecia: pró-ana e pró-mia. Isto, trocado por miúdos, quer dizer, respectivamente, pró-anorexia e pró-bulimia.

Para começar, estes movimentos consistem em encarar a anorexia (ou bulimia) como um estilo de vida, e não como uma desordem alimentar. Aparentemente, a principal diferença é que a anorexia, enquanto desordem alimentar, surge quando o sujeito sofre de uma doença que lhe causa pensamentos e/ou comportamentos compulsivos, enquanto que a pró-ana é uma anorexia “por opção”, em que o sujeito mantém o controlo da sua vida. Ou seja, a ênfase deixa de estar na auto-destruição e passa a estar no auto-controlo.

A prática deste tipo de estilo de vida, ou o aderir a estes movimentos, passa pela negação do apetite, restrição da comida ingerida, exercício físico disciplinado, etc. De um modo geral, estas raparigas encaram as perturbações alimentares anorexia e bulimia como um meio de atingir a perfeição e de "governarem" o seu corpo, "adoptando-as" de forma aparentemente consciente (?).

Ao que parece, estes controversos movimentos são bastante conhecidos nos EUA, faz já algum tempo (creio que surgiram por volta de 2000). Tem havido grande polémica à volta deste assunto, especialmente sobre a existência de websites dedicados inteiramente a apoiar e a aconselhar quem adere a este modo de vida. Existem várias associações de pais preocupados que pretendem que estes sejam fechados, com o pretexto de que influenciam jovens saudáveis e que impedem a cura de quem tem a doença. É compreensível mas, na minha opinião, uma luta ingrata, na medida em que atrás de um surgirá sempre outro e mais outro website do género. Além da impraticabilidade deste tipo de medidas, a proibição deste (e qualquer) tipo de sites não deixa de atentar contra a liberdade de expressão.(*)

Mas, então, o que se pode fazer? Bom, creio que a informação é um passo importante. Se considerarmos que quem adere a este tipo de movimentos não é necessariamente doente, então é necessário que as jovens (os alvos são principalmente jovens adolescentes) saibam os perigos que implica a privação de comida a longo prazo, de modo a evitar que sejam aliciadas pela promessa de perda de peso se seguirem dietas absurdas. E claro que as jovens se sentiriam menos pressionadas a seguir as ditas dietas se os media não impusessem a magreza extrema como ideal de beleza, mas já nem pretendo ir por aí.

Foi por considerar o tema bastante interessante que resolvi postar acerca disto. Se também quiserem saber mais, basta fazerem uma pesquisa no Google que encontram toneladas de informação. Pode ser que se gere discussão!...

Para terminar deixo-vos um poema que encontrei numa incursão pelo blog de uma jovem rapariga, esta (pareceu-me) claramente anoréctica:

" I hate this.
To eat is to die, and to starve is to live.
But starving is slowly killing yourself.
To be as light as air.
To be as a whiff of smoke, to move gracefully and float and curl up and around the others.
To become transparent and to disappear.
I will accept that air that is within me,
it is all I need to survive,
Drunk on water. Feeding on the air.
Reducing and disappearing until I am nothing,
but gone. "


____________________________
(*) Acho importante referir que os websites deste tipo que visitei têm sempre um aviso deste género:

If you believe in the myth that something can rule over you without your consent, if you regard "ana" as a disease rather than a lifestyle or choice, and especially if you see yourself as the victim of an eating disorder, in need of recovery, seeking recovery, or having recovered, it is strongly suggested that you leave this site immediately. IF you choose to ignore this warning, you WILL be triggered by the content of this site and I will NOT be responsible for your decision to play with a loaded psychological gun. There are reasons why firearms are kept locked away from children. So grow a spine if you don't have a will, and get lost.

Mas já se sabe, o fruto proibido é sempre o mais apetecido…

2 comentários:

Luar_triste disse...

Permite-me descodar num aspecto que tu escreves.... pro-ana é uma doenca é anorexia, ninguem escolhe ser pro-ana/anorexica ou pro-mia/bulimica..... tb eu andei a fazer a dita pesquisa mais por um trabalho que realizei e o que constactei foi isso mesmo as "anas" e as "mias" tem anorexia e bulimia...em muitos blogs e paginas pessoas lê-se que a ana é que escolhe ninguem escolhe a ana.... a meu ver o que aconteceu foi que elas ( as anas e as mias) utilizam a internete, os blogs para se juntarem para publicarem os seus feitos e se ajudarem umas as outras.... é uma forma de de vida que elas adapataram e que as fez ganhar força quando perceberam quantas "anas" e "mias" existem no mundo....

Beijinhos grandes e obrigada pela visita que fizes-te

teresinha disse...

Os limites não são claros, mas considero que existe uma diferença na maneira como encaram a ana ou mia. Muitos sites pró-ana que visitei eram de raparigas (e mesmo mulheres) que encaravam o jejum e a restrição de comida como forma de dieta, de modo a alcançar o "peso ideal", tendo como modelos actrizes/cantoras (excessivamente) magras. Enquanto que a anoréxia, enquanto doença psíquica, é muito mais profunda que isso. Mas obviamente que é uma questão complicada e esta é apenas a minha opinião sobre um assunto que me interessa bastante.
Obrigada pelo comentário, mesmo! Gosto que os meus posts gerem discussão e troca de opiniões, mas nem sempre isso acontece =)
Beijocas**